Os estudantes brasileiros se interessam cada vez mais pela possibilidade de
estudar fora do país. Como experiência ou medida alternativa ao falho sistema
educacional instaurado, os intercâmbios têm ganhado expressividade no cenário atual.
No Brasil, inúmeras instituições de ensino possuem parcerias com universidades de
Portugal e acordos para que os alunos brasileiros possam estudar por um ou dois
semestres no país português. Uma das justificativas da acentuação na procura por
oportunidades em Portugal é a língua, que proporciona proximidade entre as partes
envolvidas.
Um dos projetos que edificam esse oferecimento de bolsas para intercâmbio em
Portugal é o Programa Erasmus, um programa de cooperação internacional financiado
pela Comissão Europeia, direcionado a estudantes do ensino superior. O aluno aprovado
para o P.E. não precisa pagar as mensalidades, sendo responsável pelos gastos com
moradia, alimentação e transporte.
Para além do ensino superior, algumas instituições acadêmicas de Portugal
oferecem bolsas de verão para alunos do ensino médio, como foi o caso da
Universidade de Porto, que em maio deste ano (2018) promoveu um evento focado em
áreas específicas, instigando o potencial científico dos participantes. Os candidatos
precisavam ceder informações referentes ao histórico escolar e enviar uma carta de
motivação constando os motivos pelos quais desejavam participar do curso. Os
selecionados foram contemplados com a taxa de inscrição do curso, alimentação e
alojamento.
Em qualquer nível acadêmico, a experiência de um intercâmbio intersecciona
diversos âmbitos da vida, de maneira a explorar as facetas de si em situações fora do
contexto confortável.

Por Cleiton Santos

Comente